Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Três em cada cinco famílias terminaram 2017 com dívidas, diz pesquisa

Três em cada cinco famílias terminaram 2017 com dívidas, diz pesquisa

business-163870

Três em cada cinco famílias terminaram 2017 com dívidas, diz pesquisa

O percentual de famílias brasileiras com dívidas terminou 2017 em 62,2%, de acordo com dados da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Comércio (CNC). O resultado indica uma alta de 3,2 pontos percentuais em relação ao registrado em dezembro de 2016.

As famílias inadimplentes, isto é, com dívidas ou contas em atraso, representaram 25,7% do total em dezembro, indicando alta de 1,7 ponto percentual em relação a dezembro de 2016.

Ao mesmo tempo, o percentual de famílias que declaram não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso ficou em 9,7%, índice 0,6 ponto percentual na comparação com o mesmo período de 2016.

A proporção de famílias que disseram estar muito endividadas em dezembro ficou em 14,6%, o mesmo resultado do último mês de 2016. O tempo médio de atraso para que as dívidas sejam pagas foi de 64,3 dias em dezembro de 2017. No mesmo período do ano anterior, o tempo médio para regularização das contas foi de 63,8 dias.

Ainda de acordo com a pesquisa, 76,7% das famílias endividadas estão nessa situação, principalmente, por conta do cartão de crédito. Em seguida, estão os carnês, principais responsáveis pelo endividamento de 17,5% das famílias e o financiamento de carro, que ocupa a maior despesa para 10,9% das famílias.

“Apesar da melhora recente, os indicadores de inadimplência permanecem em níveis superiores aos do ano passado. A taxa de desemprego ainda bastante alta ajuda a explicar a dificuldade das famílias em pagar suas contas em dia e o pessimismo em relação à capacidade de pagamento”, avalia Marianne Hanson, economista da CNC.

Em relação a novembro, o índice de famílias com dívidas permaneceu estável na casa de 62,2%, após cinco altas mensais consecutivas. No mesmo período, os inadimplentes passaram de 25,8% para 25,7%. Já as famílias sem condições de pagar as dívidas caíram de 10,1% em novembro para 9,7% em dezembro. A pesquisa coletou dados de todas as capitais brasileiras com cerca de 18 mil consumidores.

* Com informações da Agência Brasil.

(Fonte: Economia IG)

Comente,

até breve…muito breve! /*–*/
 

Últimas notícias

Junho Vermelho: doe Sangue!

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), lança a...

11 de junho de 1982: um marco inigualável

Fusan completa 42 anos de história. Hoje, celebramos com imensa alegria e gratidão o 42º...