Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Como os exercícios ajudam a manter a memória

Como os exercícios ajudam a manter a memória

image-from-rawpixel-id-546724-jpeg

Como os exercícios ajudam a manter a memória

Um estudo feito com 63 goianos com mais de 50 anos corrobora a história de que praticar atividade física dá um gás para a memória e outras funções cerebrais. O resultado veio à baila em uma pesquisa da Universidade Estadual de Goiás e do Centro Universitário UniEvangélica, ambos em Anápolis.

Divididos em grupos de praticantes e não praticantes, os voluntários responderam a um questionário, com o qual se levantaram dados como frequência de lapsos verbais e esquecimentos. Na comparação, as falhas foram mais constantes entre mulheres e homens sedentários.

“Exercícios físicos fazem com que as vias cognitivas fiquem mais eficientes. Até porque, antes mesmo de começar a atividade, a pessoa precisa pensar nas estratégias para realizá-la”, destaca o educador físico Henrique Lima Ribeiro, do UniEvangélica.

O pesquisador ressalta, ainda, que, quanto mais cedo as pessoas aderem aos treinos, mais lentas se tornam as perdas neurológicas associadas à idade. “Nossos estudos prosseguem agora com o objetivo de avaliar quais atividades físicas são mais impactantes do ponto de vista dos ganhos cognitivos”, diz.

Como os exercícios impactam a memória, o aprendizado e o humor

1. Oxigenação da massa cinzenta: Sob esforço, aumentam o fluxo sanguíneo e os ritmos cardíaco e respiratório. Esse mecanismo turbina o transporte de oxigênio e glicose a todas as áreas do corpo. O cérebro também tira vantagem: com mais combustível, seu funcionamento melhora.

2. Renovação de neurônios: A atividade física eleva a disponibilidade do fator neurotrófico derivado do cérebro (conhecido pela sigla em inglês BNDF). Trata-se de uma proteína que estimula o desenvolvimento de novos neurônios, processo chamado de neurogênese. O BNDF atua no hipocampo, a área do cérebro relacionada à memória e ao raciocínio espacial e que tende a encolher com o avançar dos anos.

3. Liberação de neurotransmissores: Os treinos ampliam a produção desses mensageiros químicos, que levam instruções de uma célula a outra. Em níveis adequados, neurotransmissores como endorfina, serotonina e dopamina ativam circuitos neuronais ligados ao bem-estar, à atenção e à aprendizagem.

(Fonte: Saúde Abril)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA QUINTA-FEIRA! /*–*/

Últimas notícias

Quer aprender a cuidar do seu dinheiro de forma simples e leve?

A Abrapp-Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar acaba de lançar site exclusivo sobre...

Conheça os Candidatos aos Conselhos das Fundações Sanepar

Já estão disponíveis no site das Fundações as informações dos candidatos aos conselhos. Além de...