Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Camaleão, sonhador, construtor: qual seu perfil na hora de gastar dinheiro

Camaleão, sonhador, construtor: qual seu perfil na hora de gastar dinheiro

head-316654_1280

Camaleão, sonhador, construtor: qual seu perfil na hora de gastar dinheiro

Quando o assunto é dinheiro, você é construtor, camaleão, planejador, despreocupado ou sonhador?

Os brasileiros podem ser divididos nesses cinco perfis em relação à forma de gastar e administrar o orçamento, segundo pesquisa feita pela Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais).

Em qual deles você se encaixa? Confira as características de cada um.

Os construtores gostam de ter o controle da situação e cuidam do dinheiro dia após dia, mesmo que em pequenas quantidades, mas de forma consistente, segundo a entidade. Nove em cada dez construtores afirmam que pensam duas vezes antes de gastar.

Tidos como realistas e perseverantes, poupam pequenas quantias ou valores contínuos.

Esse é o perfil mais comum entre a população brasileira, com 30% dos pesquisados se encaixando nele, de acordo com o levantamento.

Camaleão

Logo atrás, mas com quase a mesma proporção de pessoas (29%), estão os camaleões.

A característica principal deles, como o nome diz, é a capacidade de adaptação. Essas pessoas não costumam guardar dinheiro e “se viram nos 30”, desdobrando-se para chegar ao final do mês e entrando no crédito para para pagar as contas.

Para 80% deles, o salário cai na conta e vai direto para pagar os boletos.

Planejador

Os planejadores são pragmáticos e têm uma relação muito forte com o dinheiro. Sentem prazer ao ver seu patrimônio crescer e são investidores constantes.

Oito em cada dez afirmam ter uma reserva financeira para emergências.

Eles representam 22% da população, segundo a pesquisa.

Despreocupado

Opostos aos planejadores, os despreocupados não são organizados e gastam sem pensar.

Isso não quer dizer que, necessariamente, eles sejam endividados, segundo Ana Leoni, superintendente de Educação e Informações Técnicas da Anbima. Eles apenas não se importam em criar laços com seu dinheiro, afirma.
Para 86% deles, o dinheiro é feito para gastar e dar prazer.

Os despreocupados representam 11% da população.

Sonhador

Os sonhadores são inquietos e motivados pelo futuro, mas acham que não é qualquer quantia que vai ajudar em sua empreitada, mesmo sabendo que precisam de dinheiro para realizá-las. Por isso acabam perdendo a oportunidade de poupar pequenos valores no dia a dia, segundo a Anbima.

A maior parte dos sonhadores (86%) declara ter espírito empreendedor.

Eles representam a menor parcela da população (6%), de acordo com o levantamento.

Metodologia da pesquisa

Segundo a Anbima, o objetivo da pesquisa foi entender os motivos que levam o país a ter uma das menores taxas de poupança da América Latina.

“A partir das investigações, concluímos que lidar com o dinheiro é uma questão que vai muito além de classe social e dos recursos disponíveis”, afirma a superintendente da associação. “Tanto isso é verdade, que as características de idade, sexo, escolaridade e até de renda de todos os perfis são bastante equilibradas.”

A pesquisa foi realizada em duas etapas. A qualitativa foi organizada pela consultoria Na Rua e ouviu 400 pessoas em quatro capitais brasileiras.

A fase quantitativa foi feita pelo Datafolha com 2.653 entrevistados em 130 municípios, entre a população economicamente ativa, inativos que possuem renda e aposentados, das classes A, B e C, a partir dos 16 anos.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%.

(Fonte: Economia UOL)

Comente,

até breve…muito breve /*–*/

Últimas notícias

Quer aprender a cuidar do seu dinheiro de forma simples e leve?

A Abrapp-Associação Brasileira de Entidades Fechadas de Previdência Complementar acaba de lançar site exclusivo sobre...

Conheça os Candidatos aos Conselhos das Fundações Sanepar

Já estão disponíveis no site das Fundações as informações dos candidatos aos conselhos. Além de...