10 sinais físicos que mostram que você está comendo mal

10 sinais físicos que mostram que você está comendo mal

badeatfood

10 sinais físicos que mostram que você está comendo mal

CANSAÇO: Essa é uma das principais consequências de uma alimentação ruim, e ocorre por uma dieta desequilibrada. Silvia Moreno, nutricionista dos Laboratórios Arkopharma destaca duas razões: “O déficit de ferro e vitaminas, em especial as do grupo B, são causas frequentes”. Mas não é só a falta de ingestão que causa o esgotamento: o excesso também. Nas palavras de Alejandro Cánovas, dietista-nutricionista do hotel Royal Hideaway Sancti Petri: “Quando consumimos muito mais gordura do que o necessário, que demora a ser digerida, nosso corpo trabalha muito. Devemos apostar em frutas e verduras, de fácil digestão”.

ACNE: Ainda que durante muitos anos o consumo de alimentos ricos em gordura tenha sido associado ao surgimento de espinhas, não existe evidência científica que o comprove. Estudos apontam que o leite é uma das causas, e se acredita que isso se deva ao hormônio IGF-1 presente nele. “Deve ser esclarecido que a principal causa é hormonal, mas os alimentos como o leite e os que contêm muito açúcar podem favorecer seu aparecimento”, diz Moreno, nutricionista dos Laboratórios Arkopharma. Os amantes do queijo e do iogurte estão com sorte: as pesquisas os excluíram da equação, e não causam essas erupções cutâneas.

MAU HÁLITO: Ainda que, como indicam as clínicas dentárias Dentix, a halitose pode ocorrer por numerosos fatores (alguns deles: má higiene buco-dental, as cáries, gengivite, o estresse), a dieta também pode estar na origem. Um hálito não desejado pode ser sinal de hidratação escassa e por comidas que durante a digestão formam vapores com mau cheiro como alho, cebola, brócolis, picles, couve de Bruxelas, café e álcool.

PRISÃO DE VENTRE: “A causa mais frequente de seu surgimento é a falta de fibra na dieta”, alerta Moreno. A fibra se encontra na fruta, nas frutas secas, na verdura e nos grãos dos cereais, especialmente nos integrais. O consumo suficiente de água também ajuda a regular o trânsito intestinal.

CABELO QUEBRADIÇO: O cabelo romper-se com facilidade ao penteá-lo e cair mais do que o comum costuma indicar falta de proteínas. Cánovas fala de uma vitamina em especial, relacionada à alopecia: a biotina. Sua carência deve preocupar, pois se encontra em numerosos alimentos. “Pode se conseguir nos produtos integrais (quinoa, aveia, trigo, centeio, cevada), em peixes, na gema dos ovos e na levedura da cerveja”, diz o profissional.

PELE APAGADA: “A dieta pode afetar a coloração da pele e seu nível de hidratação”, conta Moreno. “Devemos beber quantidade suficiente de água para uma hidratação adequada e aumentar o consumo de alimentos com betacarotenos: cenoura, damasco, pimentão, abóbora…)”

RESFRIADOS FREQUENTES: Nossas mães já diziam: tome suco de laranja todas as manhãs. “Ainda que não exista unanimidade sobre se a vitamina C previne a aparição de resfriados, é importante tomar as doses adequadas (cítricos, acerola)”, afirma a especialista do laboratório.

EXCESSO DE SUOR: Como a acne, a nutrição não é a principal causa de uma sudoração desorbitada. Os genes e determinadas doenças costumam estar por trás desse problema. Mas há certos alimentos que podem induzi-lo. “Devem ser excluídas da dieta as comidas muito quentes e picantes, assim como a cafeína e o álcool”.

BARRIGA INCHADA: “Os motivos são vários: os produtos processados, os refrigerantes carbônicos que contêm muito gás e a cerveja estão entre eles”, diz Cánovas. Isso é, uma acumulação de gás no intestino grosso incha a barriga. “Os maus hábitos na deglutição, como comer depressa e exagerar na quantidade, fazem com que se trague ar”, acrescenta Moreno. Também pode ocorrer por intolerância à lactose e ao glúten, de modo que é conveniente uma ida ao médico se após a eliminação dos alimentos apontados o inchaço persistir.

IRRITABILIDADE: A alimentação e o humor mantêm uma relação estreita. “As dietas, que restringem muitos alimentos aos que nos acostumamos e até mesmo nos tornamos viciados, geram sensações negativas”, diz Moreno. Mas, sem a necessidade de regimes rígidos, uma má rotina pode afetar. “Provoca um desequilíbrio no apetite da pessoa que traz mais estresse e ansiedade. É feita uma opção pelos alimentos processados e ricos em açúcares que geram um pico de felicidade a curto prazo, mas a pessoa imediatamente volta a sentir fome. Também influencia a culpabilidade por alimentações exageradas fora de hora e opções pouco saudáveis”, afirma Cánovas. Recomendação de Moreno: consumir alimentos ricos em triptofano, como o frango e a banana, um aminoácido essencial para a síntese da melatonina que regula o sono e nos faz mais felizes.

(Fonte: El País)

Comente,

QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA SEXTA-FEIRA! /*–*/

Últimas notícias

Reajuste do Plano SaneSaúde fica abaixo da Inflação

Com vistas a permitir a manutenção do equilíbrio atuarial e financeiro, a Fundação informa que...

Fusan comemora 40 anos com novo site

A Fusan está comemorando bodas de esmeralda. São 40 anos prezando pelo propósito, que é...