ACESSO RÁPIDO

Como administrar meu dinheiro? 5 dicas para quem não sabe por onde começar

Início / Como administrar meu dinheiro? 5 dicas para quem não sabe por onde começar

Como administrar meu dinheiro? 5 dicas para quem não sabe por onde começar

Eu recebo centenas e centenas de e-mails de mulheres de todo o Brasil, sempre com a mesma dúvida: como administrar meu dinheiro se não sei por onde começar?

Quando você está presa naquele enrosco financeiro, parece que não há saída nenhuma. As dívidas se acumulam, as faturas ficam esquecidas em algum canto e as contas não param de chegar. É tanta informação que dá até um aperto.

Eu montei um passo a passo para quem está nesta mesma situação, mas quer assumir o controle da vida financeira e resolver o problema de uma vez por todas. Confira!

1) Abra todas as contas e cobranças

Ignorar as cartas e faturas nunca é uma boa ideia. Pegue tudo o que você tiver em casa e anote as datas e valores em uma planilha. A ideia aqui é que você veja exatamente todas as contas que paga mensalmente.

2) Pegue os extratos bancários e faturas dos últimos 3 meses

Com eles, você vai poder montar a sua planilha de gastos dos últimos 3 meses. Para isso, basta pegar cada um dos gastos e classificar em 3 categorias: essenciais, supérfluos e pagamento de parcelas. O ideal é que os seus gastos com essenciais correspondam a 50% do seu salário; com supérfluos, a 20% e com parcelas, a 30%.

3) Liste todas as suas dívidas

Para poder quitá-las, o primeiro passo é saber exatamente quanto você deve, para quem e as taxas de juros cobradas. Com as informações organizadas, você vai conseguir ver por onde começar: com as dívidas com os maiores juros, ok?

4) Corte os gastos exagerados

O ideal é que você consiga encaixar os seus gastos dentro da fórmula do 50/20/30: 50% para essenciais, 20% para supérfluos e 30% para pagamento de parcelas. Na hora de preencher a sua planilha, você vai ver onde estão os exageros. Por exemplo: se você estiver gastando muito mais do 50% com os essenciais, vai ter que cortar algumas das suas despesas para conseguir chegar na meta de 50%.

5) Renegocie e refinancie as dívidas

Resolver as dívidas não é tão simples assim – mas isso não quer dizer que seja impossível. Se você perceber que está gastando muito mais do que 30% com o pagamento de parcelas, vai ter que sentar com o credor para renegociar as parcelas. Outra alternativa é tentar conseguir um empréstimo pessoal, com juros menores, para poder quitar as dívidas todas e ficar apenas com este.

Viu? Com foco e consistência, você consegue montar um plano e segui-lo para poder sair do enrosco de uma vez por todas!

(Fonte: Finanças Femininas)
 

COMPARTILHE: